NOTIFICAÇÃO DE CASOS SUSPEITOS DE MONKEYPOX

NOTIFICAÇÃO DE HEPATITE AGUDA DE ETIOLOGIA DESCONHECIDA
2 de maio de 2022
BOLETIM N. 14 2022 SMS CIEVS SSA COVID19
22 de junho de 2022

NOTIFICAÇÃO DE CASOS – MONKEYPOX

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde de Salvador (CIEVS Salvador), elaborou um formulário para notificação imediata (em até 24 horas da identificação) dos casos suspeitos ou confirmados da doença.

De acordo com a Lei nº 6 259 de 30 de outubro de 1975, TODOS os profissionais de saúde obrigatoriamente deve notificar doenças e agravos de notificação compulsória.

Link do formulário de notificação:

https://redcap.saude.gov.br/surveys/?s=ER7Y39373K

 

COLETA DE AMOSTRAS CLÍNICAS – MONKEYPOX

Orientações para a coleta de amostras clínicas (clique aqui).

 

DEFINIÇÕES OPERACIONAIS – MONKEYPOX

DEFINIÇÃO DE CASO

 Caso suspeito: Indivíduo de qualquer idade que apresente início súbito de lesão em mucosas E/OU erupção cutânea aguda sugestiva* de Monkeypox, única ou múltipla, em qualquer parte do corpo (incluindo região genital/perianal, oral) E/OU proctite (por exemplo, dor anorretal, sangramento), E/OU edema peniano, podendo estar associada a outros sinais e sintomas

*lesões profundas e bem circunscritas, muitas vezes com umbilicação central; e progressão da lesão através de estágios sequenciais específicos – máculas, pápulas, vesículas, pústulas e crostas.

Caso provável: Caso que atende à definição de caso suspeito, que apresenta um OU mais dos seguintes critérios listados abaixo, com investigação laboratorial de Monkeypox não realizada ou inconclusiva e cujo diagnóstico de Monkeypox não pode ser descartado apenas pela confirmação clínico-laboratorial de outro diagnóstico.

a) Exposição próxima e prolongada, sem proteção respiratória OU contato físico direto, incluindo contato sexual, com parcerias múltiplas e/ou desconhecidas nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas; E/OU

b) Exposição próxima e prolongada, sem proteção respiratória, OU história de contato íntimo, incluindo sexual, com caso provável ou confirmado de Monkeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas; E/OU

c) Contato com materiais contaminados, como roupas de cama e banho ou utensílios de uso comum, pertencentes a com caso provável ou confirmado de Monkeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas; E/OU

d) Trabalhadores de saúde sem uso adequado de equipamentos de proteção individual (EPI) com história de contato com caso provável ou confirmado de Monkeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas.

Caso confirmado: caso suspeito com resultado laboratorial “Positivo/Detectável” para Monkeypox vírus (MPXV) por diagnóstico molecular (PCR em Tempo Real e/ou Sequenciamento).

Caso descartado: caso suspeito com resultado laboratorial “Negativo/Não Detectável” para Monkeypox vírus (MPXV) por diagnóstico molecular (PCR em Tempo Real e/ou Sequenciamento).

Diagnóstico diferencial: varicela zoster, herpes zoster, herpes simples, infecções bacterianas da pele, infecção gonocócica disseminada, sífilis primária ou secundária, cancróide, linfogranuloma venéreo, granuloma inguinal, molusco contagioso, reação alérgica e quaisquer outras causas de erupção cutânea papular ou vesicular.

Historicamente, há relatos esporádicos de pacientes coinfectados com o vírus Monkeypox e outros agentes infecciosos, portanto, pacientes com erupção cutânea característica devem ser investigados mesmo que outros testes sejam positivos.

Equipamentos de Proteção Individual (EPI): óculos de proteção ou protetor facial, avental, máscara cirúrgica, luvas de procedimentos.

Fonte: Centro de Operação de Emergência para Monkeypox – Ministério da Saúde, 29/07/2022.

Glossário para inclusão dos quesitos IDENTIDADE DE GÊNERO

Glossário Identidade de gênero e orientação sexual – prontuário eletrônico.